quarta-feira, 19 de outubro de 2016

SAUDADES

Ao tempo que me impõe essa gelidez,
Rompo a lembrar-te com longos suspiros.
Diante da vida a passar por meus olhos,
Nesse baque da vida, dura languidez!

Agora no aperto do peito, penso...
Seus doces mas tão perturbados beijos,
Imersos em perguntas sobre a vida
Liberaram minhas lágrimas de dor.

Divago repentino em tua fria campa
Imaginando tua breve juventude,
Vagando solta pelo limbo perenal.

Agora jaz uma das deusas do amor,
Dona de dez mil corações partidos
Todos saudosos daquela meiguice.
  



Nenhum comentário:

Postar um comentário