quarta-feira, 19 de outubro de 2016

SAUDADE

Ao tempo que impõe toda essa gelidez,
Rompo em lembranças com longos suspiros.
Diante da vida a passar por meus olhos,
Nego acreditar, olhos em languidez.

Agora com peito apertado, penso...
Seus doces mas tão perturbados beijos,
Imersos em perguntas sobre a vida
Liberaram em mim lágrimas de dor.

Divago agora ao ver tua fria campa.
Imaginações sublimes passadas,
Vagas como teu semblante perene.

Agora jaz uma das deusas do amor,
Dona de dez mil corações partidos
Todos saudosos daquela meiguice.
  



Nenhum comentário:

Postar um comentário